quinta-feira, 1 de junho de 2017

Governo Marchezan amarga derrota na Câmara Municipal de Porto Alegre


Municipários lotaram as galerias - Foto de Edson Sempé Pedroso/CMPA
Foto: Edson Sempé Pedroso/CMPA
Municipários comemoram

Nesta tarde na Câmara Municipal de Porto Alegre, após bem sucedidas (porém mal intencionadas) manobras antidemocráticas do governo Marchezan, foi votado o Projeto de Lei do Executivo 02/2017, que trata da política salarial para os servidores municipais de Porto Alegre. Atualmente vige a Lei Municipal n. 9.870, de 30 de novembro de 2005, que dispõe sobre a política salarial dos servidores da administração centralizada, das autarquias e fundação municipais, e vincula o reajuste ao Índice de Preços ao Consumidor - Amplo, conhecido pela sigla IPCA, definida pelo IBGE. A proposta do prefeito Júnior altera o artigo 1º daquela lei, condicionando esse reajuste à disponibilidade orçamentário-financeira do Município.
Foto: Leonardo Contursi/CMPA
Ao final da tarde o líder do
governo, vereador Clàudio 
Janta, requeriu retirada de
tramitação do projeto 
Houve intensa presença de servidores de todas as secretarias, lotando completamente as galerias e corredores do plenário principal. A categoria municipária deixou claro que não assistirá passivamente seus direitos serem retirados sem justificativas plausíveis e diálogo.

O recuo do governo

Encerrando a sessão plenária desta quarta-feira, o líder do governo, vereador Clàudio Janta (Partido Solidariedade) requereu a retirada de tramitação do projeto, que foi aprovada por unanimidade, apesar de algumas abstenções. Portanto, e visto que o mês da database dos servidores municipais de Porto Alegre (maio) se encerrou, é provável que esteja garantida ao menos a reposição inflacionária, que corresponde a 4,08% (IPCA de maio de 2016 a abril de 2017).

A primeira vitória

Foto: Luíza Dorneles/CMPA
A primeira defesa foi pela Vereadora
Fernanda Melchiona/PSOL, contra o
PLE 02/2017
A primeira batalha foi vencida pela união dos municipários, em defesa da população da capital gaúcha, sob a (pro)positiva orientação do SIMPA e com a aguerrida e brilhante atuação do bloco de oposição, representada nas falas das vereadoras Fernanda Melchiona, Sofia Cavedon, Roberto Robaina e Adeli Sell, como é possível assistir no vídeo captado pelo blog durante parte da sessão (disponível em meu perfil de Facebook, e breve, após pequenas edições, aqui no blog).
Ainda há importantes projetos a serem votados, como o PLE 04/2017, que propõe aumentar a contribuição previdenciária dos atuais 11% para 14%, sob a alegação (não comprovada pelo executivo) de que a previdência dos servidores estaria deficitária.

Acessa o projeto

Pra facilitar tua pesquisa, deixamos apontados os links que te levam diretamente aos documentos hospedados no site da CMPA:


Sabe mais

Mais informações sobre essa histórica sessão pode ser lida com confiabilidade aqui:





sábado, 15 de abril de 2017

"Escola sem Partido" (sic) é declarada inconstitucional pelo STF

Recebi essa mensagem pelo WhatsApp, e vale a pena compartilhar por aqui, tambem. Reproduzo integralmente o que recebi:

'Acabou a farra da Escola Sem Partido.  Inconstitucionalidade do escola sem partido declarada no STF, liminar concedida pelo ministro Barroso.
Vejam parte da argumentação:

"Há uma evidente relação de causa e efeito entre o que
pode dizer um professor em sala de aula, a exposição dos alunos aos mais diversos conteúdos e a aptidão da educação para promover o seu pleno desenvolvimento e a tolerância à diferença. Quanto maior é o contato do aluno com visões de mundo diferentes, mais amplo tende a ser o universo de ideias a partir do qual pode desenvolver uma visão crítica, e mais confortável tende a ser o trânsito em ambientes diferentes dos seus. É por isso que o pluralismo ideológico e a promoção dos valores da liberdade
são assegurados na Constituição e em todas as normas internacionais antes mencionadas, sem que haja menção, em qualquer uma delas, à neutralidade como princípio diretivo.

A própria concepção de neutralidade é altamente questionável, tanto do ponto de vista da teoria do comportamento humano, quanto do ponto de vista da educação. Nenhum ser humano e,
portanto, nenhum professor é uma “folha em branco”. Cada professor é produto de suas experiências de vida, das pessoas com quem interagiu, das ideias com as quais teve contato. Em virtude disso, alguns professores têm mais afinidades com certas questões morais, filosóficas, históricas e econômicas; ao passo que outros se identificam com teorias diversas. Se todos somos – em ampla medida, como reconhecido pela psicologia – produto das nossas vivências pessoais, quem poderá proclamar sua visão de mundo plenamente neutra? A própria concepção que inspira a ideia da “Escola Livre” – contemplada na Lei 7800/2016 – parte de preferências políticas e ideológicas." '

Também a ONU emitiu nota sobre o assunto, posicionando-se contra o projeto, e crítica também as reformas de base curricular aplicadas no Brasil. Leia neste link:
http://campanha.org.br/direitos-humanos/onu-se-manifesta-contra-o-escola-sem-partido-e-cita-mudancas-na-base-curricular/

quinta-feira, 16 de março de 2017

Vamos tentar tirar as teias do blog. Ao trabalho!

Há tempos não escrevo por aqui. Tenho sentido necessidade e, por outro lado, um pouco mais de tempo livre. Desde a última postagem o mundo mudou bastante, e pretendo falar de tudo isso um pouco. Aqui teremos opiniões baseadas em fatos noticiados em fontes que confio, talvez algumas confissões inauditas em ficções fantásticas, com sorte e dedicação talvez boas entrevistas exclusivas. O mundo é uma infinidade de possibilidades. Infinitas possibilidades, diferentes forças, distintos olhares, pensamentos diversos!
E iremos mudar o leiaute, também, aguardem.

quinta-feira, 5 de maio de 2011

sábado, 22 de janeiro de 2011

O Funk dos Iluminados

Muito divertido. Quem conhece a senda dos "iluminados" sabe como isso é real e, ao mesmo tempo, engraçado. Aproveitem:

domingo, 10 de outubro de 2010

sábado, 11 de setembro de 2010

11 de setembro: Uma data a ser lembrada

Neste 11 de setembro, nossa consternação à tragédia ocorrida nesse dia. Para relembrar, e jamais esquecer aquele que foi um dos maiores golpes sofridos pela sociedade moderna, posto aqui um dos melhores documentários sobre o tema. Prepare-se. Cenas fortes, mas imprescindíveis pra compreender a atualidade. Bom proveito.
Em tempo: Uma grande dica, de um grande mestre. Valeu. Leia uma resenha no Ponto de Vista, editado por WU

A Batalha do Chile - Patrício Guszmán

A Batalha do Chile - Parte 1 - A Insurreição da Burguesia from Zaire on Vimeo.


A Batalha do Chile - Parte II - O Golpe de Estado from Zaire on Vimeo.


A Batalha do Chile - Parte III - O Poder Popular from Interat on Vimeo.

Livros de comunicação para baixar em PDF

Livros de comunicação para baixar em PDF
O Laboratório de Comunicação On-line (Labcom) está disponibilizando uma gama de livros de comunicação para os internautas baixarem em PDF gratuitamente no português de Portugal. Algumas obras são muito interessantes, veja as mais ligadas ao jornalismo:

Related posts:
  1. Dicas para melhorar o texto jornalístico Para fechar 2009 com chave de ouro, hoje, compartilho com...
  2. Seis prêmios de jornalismo para você participar Alguns prêmios de Jornalismo já abriram suas inscrições neste ano....
  3. Dicas de documentários para o seu final de semana O documentário é um gênero audiovisual que tem como objetivo...
Posts relacionados trazidos a você pelo Yet Another Related Posts Plugin.

segunda-feira, 6 de setembro de 2010